Sociedade

Publicado em 07/10/2017

Gaúcho inventa mina terrestre pra evitar roubo de gado na zona rural

O gaúcho de Bagé Renato Azevedo criou uma “arma” para ajudar o homem do campo contra o abigeato – furto ou roubo de animais na zona rural, principalmente gado. O projeto “minas terrestres explosivas não-letais e de alarme via rádio transmissor” tem a finalidade de coibir, prevenir, intimidar, combater e reduzir os crimes rurais.

“Faz quatro anos que eu vinha pensando em algo que pudesse ajudar o homem do campo. Realmente, nada se cria, tudo se transforma. O criador não tem como se defender. Ou melhor, não tinha. Agora já tem. Criamos, fundamentado nas minas de guerra, um campo minado. Ou seja, ele estará camuflado e, quando o abigeatário pisa, explode três ou mais minas. Dentro terá um pó tóxico que deixa o abigeatário confuso e ainda um pó fosforescente, não letal, e, via rádio transmissor, comunicará a sede da propriedade”, explica Azevedo.

“Por exemplo, algumas nem explodem. Quando pisadas, somente avisam o produtor que tem gente no campo. Com o pó fosforescente, fica fácil de enxergar o criminoso no escuro e também podem ser usados quantos rádios transmissores a pessoa quiser. Ou seja, se quiser deixar com vizinhos para ajudar não tem problema. O alarme dispara onde está sendo invadido e também nos vizinhos. O acionador e as minas são de um material barato pois é com plástico injetado. Mas cabe ressaltar que é uma mina não letal”, afirmou.

Azevedo destaca que também devem ser colocados outdoor, cartazes ou placas dizendo que há mina explosiva e de alarme no campo. “Isso é fundamental”, pois são de efeito moral e psicológico, ressalta. “Eu já não entraria ou pelo menos pensaria dez vezes antes de entrar em um campo minado. Não tem como o criminoso saber onde estão enterradas essas minas. Somente o dono, que terá um mapa com o local exato”, disse.

Fonte: O Sul






Back to Top ↑